terça-feira, 30 de maio de 2017

Instalando o TuxGuitar no Debian 9






TuxGuitar é um editor de tablaturas de guitarra, violão, cavaquinho e baixo (entre outros instrumentos de corda) no estilo do Guitar Pro, só que totalmente gratuito. O aplicativo foi escrito em Java e tem suporte aos formatos GP3, GP4 e GP5 — arquivos típicos de diversas versões do Guitar Pro.
As funções existentes são praticamente as mesmas presentes no GTP e a interface é semelhante. No programa é possível tanto visualizar os arquivos de tablatura presentes em diversos sites como criar suas próprias músicas e salvá-las ou convertê-las em MIDI.
Estão presentes a visualização do braço do instrumento, partituras, possibilidade de adição de letras, dicionário de acordes e escalas e várias outras funções que transformam o estudo e a edição de tablaturas em algo completo. Para maior agilidade, pode-se configurar as teclas de atalho da maneira que for necessário.


  • Editor de tablaturas completo.
  • Exibição multi-trilhas.
  • Reprodução com rolagem automática.
  • Gerenciamento de duração das notas.
  • Vários Efeitos (bend, slide, vibrato, hammer on/pull-off).
  • Suporte a quiálteras (3, 5, 6, 7, 9, 10, 11 e 12).
  • Repetição e fórmulas de compasso.
  • Configuração de andamento e tempo.
  • Totalmente compatível com arquivos GP3, GP4 e GP5.

Acesse o terminal e digite :

sudo apt install tuxguitar tuxguitar-jsa




finalizada a instalação, procure por TuxGuitar no dash:



Agora é só utilizar o software e bom estudo e para finalizar, algumas telas do programa:

















Diminuindo o tamanho dos icones da área de trabalho no Debian 9



Uma característica que pode ser considerada desagradável, para quem instalou o Debian 9 é o tamanho exagerado dos ícones da área de trabalho :

Para resolver esse pequeno problema estético, basta apenas acessar o gerenciador de arquivos acessar o terceiro ícone ( o primeiro é o ícone de busca, o segundo alinha os ícones em fila e o terceiro mostra as opções)





























E onde mostra 100%, basta diminuir o tamanho o 75% ou menos , caso deseje.


Volte a sua Área de trabalho para ver o resultado:




Comparando o tamanho dos ícones. 

Recuperar fotos/arquivos deletados do Pen Drive no Debian/Ubuntu/Linux Educacional 6







PhotoRec é um software de recuperação de dados de arquivo projetado para recuperar arquivos perdidos, incluindo vídeo, documentos e arquivos de discos rígidos, CD-ROMs e imagens perdidas (assim o nome da Recuperação de Foto) da memória da câmera digital. O PhotoRec é gratuito - este aplicativo multi-plataforma de código aberto é distribuído sob a Licença Pública Geral GNU (GPLV v2 +). O PhotoRec é um programa complementar do TestDisk, um aplicativo para recuperar partições perdidas em uma grande variedade de sistemas de arquivos e fazer com que discos não-inicializáveis ​​sejam inicializáveis ​​novamente. 

Para mais segurança, o PhotoRec usa o acesso somente leitura para lidar com a unidade ou cartão de memória que você está prestes a recuperar dados perdidos. 

Importante: Assim que uma imagem ou arquivo for excluído acidentalmente, ou você descobrir qualquer ausência, NÃO salve mais imagens ou arquivos para esse dispositivo de memória ou unidade de disco rígido; Caso contrário, você poderá substituir os dados perdidos. Isso significa que, ao usar o PhotoRec, você não deve escolher gravar os arquivos recuperados na mesma partição em que foram armazenados.

Para instalar no Debian/Ubuntu/Linux Educacional 6/ :
No terminal digite :

sudo apt install testdisk




aperte <enter>, digite sua senha e aguarde baixar e instalar o pacote.



crie uma pasta para guardar os arquivos recurados

OBS.: acredito que nao precisa de um print ou de explicação para criar uma pasta e colocar o pen drive

Agora já está instalado no seu sistema. Agora vou colocar o pen drive que quero recuperar as fotos e depois digite no terminal :

photorec



Essa é a teça inicial do Photorec, escolha o disco que deseja recuperar, no caso desse exemplo seria a segunda opção :



Aqui em geral é a segunda opção, para navegar entre as opções abaixo, utilize as setas do teclado.
Utilizando as setas do teclado para acessar as opções avançadas que ficam localizadas no canto inferior esquerdo, não vou entrar em detalhes, pois essas opções são para usuários mais avançados.

Prossiga apertando <enter>




Para prosseguir basta apenas apertar <enter> :



A opção [Free] , procura por arquivos que não estão alocados numa partição FAT32,

A opção [Whole] , extrai arquivos de toda partição.

Como geralmente os pen drives são utilizados com a partição FAT32, vamos utilizar a opcão Free:




Utilize as setas para cima ou para baixo, para navegar pelas pastas até localizar a pasta que criou para que os dados recuperados sejam salvos, ao localizar aperte enter para acessar a pasta:

 Aperte C para confirmar que é a pasta correta.

Agora, basta esperar, dependendo do tamanho do pe drive e do hardware do seu computador, esse processo pode demorar vários minutos. Então pode ir tomar um café, bem tranquilo(a);


 Feche o terminal e acesse seu gerenciador de arquivos, na pasta que escolheu vão estar os arquivos recuperados.


O Photorec, salva em várias pastas , é aconselhável que busque os dados pedidos em todas as pastas.

Algumas considerações finais:

  • Em algumas fotos, podem ocorrer perca de qualidade ;
  • Os nomes dos arquivos são alterados;
  • Podem ocorrer algumas alguns erros na formatação de documentos de texto.

Lembrando que é um recurso emergencial e e nenhum software atualmente vai recuperar 100%, dos seus dados perdidos, caso seja dados extremamente importantes, procure um profissional especializado recuperação de arquivos.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Apps Gnome: Maps




O Gnome Maps é um cliente linux nativo de mapas, cheio de recursos. Em geral ele já vem instalado  por padrão em distribuições que utilizam o Gnome 3.16.  
Pode ser instalado em Debian/Ubuntu/Mint pelo apt:

sudo apt install gnome-maps

Aqui estou utilizando o Debian 9 (stretch) com Gnome 3.22.2,




















O Gnome Maps, funciona melhor, se ativar o serviço de localização, para isso vá o dash e procure por privacidade:





























Vá em serviços de localização e clique nele.





















Vai aparecer o submenu.





















Agora basta clicar para ativar.





















Depois de ativado os serviços de localização, procure no dash pelo Maps




















Ele apresenta dois modos de visualização.

O modo padrão : 





















E o modo visão de satélite: 





















Basta ir na busca e começar a digitar o nome da cidade que já vai aparecer resultados, no caso estou usando como exemplo a cidade de Rio do Sul - SC ( grande abraço para os/as Rios Sulenses ).

























Basta clicar na cidade para aparecer 3 opções :




















A opção de rotas, da localização atual até o destinho procurado :



A segunda opção  fornece a um submenu com 3 opções que oferece :



1)a meteorologia do destinho procurado;




















2)Relógio que é interessante para viagens com fuso horários diferentes;



3)o navegador web padrão abre com o site do OpenStreetMap com informações do destinho solicitado :



E a ultima opção salva nos favoritos.


O Gnome Maps é uma boa alternativa ao google maps, oferece muitos recursos e funciona de forma rápida e precisa. Precisando trabalhar com mapas, rotas, fuso horários e climas ele dá conta do recado.




sexta-feira, 5 de maio de 2017

Versão BETA do LE6 disponível para Download



Olá pessoal, saudades ?? É o blog tava meio parado, estava bem ocupado com a outros projetos, mais estou de volta. Então já saiu a versão beta do Linux Educacional 6 (uhull). Então Enquanto não fica pronto o meus video mostrando el, fica ai algumas novidades e problemas conhecidos :

As principais novidades presentes nessa versão são:
– Atualização do sistema base para Ubuntu 16.04 com Gnome 3.18 ;
– Aprimoramento da categorização das aplicações disponíveis no menu Overview;
– Configuração automática da rede para uso do Epoptes, sistema de gerenciamento de laboratório;
– Edubar integrada com novo Portal de conteúdo do MEC, também em fase BETA de desenvolvimento;

Alguns problemas conhecidos e que devem ser resolvidos em breve:


1 – Instalador seleciona inglês ao invés de português como linguagem padrão;
2 – Logo do LE não é exibida durante carregamento da “live”, que permite uso do sistema sem instalação;
3 – Acesso a internet deve ser funcional durante instalação do sistema, ou algumas funcionalidades não estarão disponíveis;
4 – Ao tentar reinstalar o LE6 ele é exibido como Ubuntu pelo instalador;
5 – Após concluir a instalação e mensagem informando sobre a necessidade de reiniciar o sistema aparece em inglês;
6 – O menu gráfico da live ainda exibe a logo do Ubuntu ao invés da logo do LE;
7 – A opção de instalação de pacotes de terceiros não está marcada por padrão no menu instalação, mas ela é necessária para a execução correta de arquivos de mídia;
8 – Nenhuma mensagem de erro é exibida ao usuário aluno que tenta executar ações como administrador (apesar da ação falhar);
9 – O CdRom erroneamente permanece como um repositório de software após instalação do sistema, exibindo mensagem de erro caso não esteja presente (mas não afeta atualização automática);
10 – Ubiquity deixa a localização default para Rio Branco quando esta sem internet ao selecionar pt_BR como língua na instalação (preferível: São Paulo);
Sinta-se à vontade para testar o sistema e dar sua opinião em nosso fórum, certamente podemos aperfeiçoar muito o sistema com o apoio da comunidade.
  
LEMBRANDO que é uma versão beta, é altamente recomendável o uso apenas para testes e não para o uso laboratório, pois esta versão ainda está em fase de  desenvolvimento e ainda possui muitos bugs.





Postagens mais antigas Página inicial